FANDOM


Nuvola apps bookcase
Este artigo é parte do Deslivros, a sua biblioteca livre de conteúdo.

Este deslivro é parte do acervo de desmanuais 25px

Ficheiro:Crazy.gif

Caro leitor, você sempre tentou fazer amizade com pessoa normais, mas nunca conseguiu? Você queria fazer amizade com aquela pessoa legal, mas inexplicavelmente, você foi parar do lado de uma pessoa irritante, excêntrica, com uma mente doentia? Você sempre quis fazer amizade com aquele sujeito legal que conversa do tipo que todo mundo gosta, mas quando foi ver já tinha adicionado o esquizofrênico da sala? Você queria conversar com aquela garota boa, legal, inteligente, bonita, sexy, mas seus amigos retardados o atrapalhavam sempre, criando uma imagem negativa, já que você só anda com esse povo louco?

Então você já está de saco cheio e quer se livrar desse bando de anormais para se tornar um legítimo sujeito intelectual. Agora você poderá ficar na rodinha dos intelectuais, falar das coisas que gosta e não apenas de coisas idiotas e sem noção, como acontecia antigamente. Primeiro vamos conhecer a história de Jigglypuff:

A história de JigglypuffEditar

Jigglypuff é uma jovem escritora, que se formou na profissão há 2 horas atrás enquanto brincava de inventar títulos de livros e conversava com amigos pelo MSN. Até agora ela já escreveu 19 livros, sendo que todos ainda estão em andamento e, talvez, a maioria esteja apenas com o título definido. Vamos ver suas obras:

  • Creamy, a menina-sorvete
  • Chocky, o garoto-chocolate
  • Peppy, o bebê-pimenta
  • Tommy, um tomate em crise
  • Carry, a cenoura que venceu na vida
  • Potty, a batata-cabeção
  • Letty, a alface hipocondríaca
  • Sandy, o sanduíche machista
  • Lolly, o pirulito hiperativo
  • Mushie, o cogumelo deprimido
  • Lemmy, o limão camarada
  • Cucky, o pepino que sofria bullying
  • Pappy, o mamão geek
  • Yoggie e Gurtie, as irmãs-iogurte
  • Peanny, o amendoim retardado
  • Cockie, o coquetel bipolar
  • Cinny, a canela anoréxica
  • Vanny, a baunilha do sertão
  • Cabby, o repolho míope

Jigglypuff tem uma habilidade muito especial de ficar loucona, chapadona, doidona, malucona, retardadona sem usar nenhum tipo de droga, além de sua incrível criatividade para inventar coisas. Ela pensa que é um pokémon do tipo balonista que possui olhos saltados pra fora da cara.

Seus melhores amiguinhos são os minogrifos, criaturas que transmitem energias positivas quando ela está com tédio; os cavalos-marinhos motoqueiros, que usam óculos escuros e jaquetas de couro; o pato malabarista, que toma uns Red Labels aos sábados com o urso caçador e sai para dar uns rolés com o Cavalo Marinho Motoqueiro. Além desses amiguinhos imaginários, ela também tem amigos reais, como os otakus de seu curso aos sábados (é tanto nome estranho que fica difícil por aqui) e um cara inexistente criado pela mídia, que pode se transformar em diversas doenças graves diferentes, como a AIDS e a Gripe do Porco. Ele também pode assumir a forma do Megaman e Porcman para que seus poderes sejam ampliados.

Jigglypuf também tem autoestima bipolar, podendo pensar algo sobre ela um dia, e no outro já pensar exatamente o oposto. As vezes ela se acha tão inútil que fica deprimida aos domingos e logo no outro dia ela já fica toda alegre e diz ter 1001 utilidades, dentre elas fazer carinho, lavar, passar e cozinhar.

Jigglypuff também sabe dançar Hare Hare Yukai (não me pergunte o que é isso) e fazer cosplay. Ela também tem transtorno-obsessivo-compulsivo por Mupy, gosta de rock (quanto mais barulho melhor) como Iron Maiden entre outras bandas.

Agora vamos conhecer a história do sujeito Inexistente:

A história de InexistenteEditar

Inexistente é um jovem criado pela mídia para enganar a população e transmitir doenças como a AIDS e a Gripe do Porco. Seus passatempos preferidos são jogar vídeo-game e fazer coisas de nerd. Inexistente sempre quis fazer amizade com pessoas legais, mas parece só atrair loucos e nunca normais. Sua sanidade mental começou a diminuir quando conheceu pessoas como: Calvin, um cara que usava lancheira em plena 6ª série e que de uma hora pra outra deixou sua infantilidade em uma camisinha e, logo depois, tornou-se um legítimo garanhão; Rodrigo, um japonês com instinto assassino, que tem adoração por coisas macabras e sanguinolentas; Willian, um ser tão inexplicável quanto Hands of God do Idoser e, principalmente, Jigglypuff, que já foi descrita acima.

Desde aquela época, sua sanidade mental passou a cair gradativamente, tornando-o hoje um cara psicótico e louco. Para resolver seu problema, ele pretende passar em um médico psicólogo pelo menos 1 vez por semana, e se der sorte, pegar a psicóloga de jeito. Ultimamente, ele tem tido alucinações dos mais variados tipos, como aquelas girafas rosas que voam e latem felizes como marshmallows caindo do céu.

Apesar de ser assim, Inexistente quer mudar. Vamos ver como fazer isso no próximo capítulo:

Passo I: Livrando-se delesEditar

Então você quer mudar, mas como se você está rodeado de gente bizarra? Você precisaria andar com qualquer tipo de gente, menos com as que você anda agora. Mas não é tão fácil se livrar deles assim. Então como proceder? Se você disser que não quer mais manter a amizade, não sei porque, isso não vai dar certo com certeza. Se você tratá-los mal, vão rir de você sem parar dizendo que você está com TPM (independente do seu sexo). Se você ofendê-los, provavelmente sairá em desvantagem, pois eles ficaram dizendo barbaridades e insanidades dos mais variados tipos e você ficará sem o que dizer. Mas se tiver sorte de começar uma briga, provavelmente ela acabará do nada e vocês estarão conversando sobre o próximo show da Britney Spears. E mesmo que você consiga levá-la até o final, no outro dia seu amigo aparecerá dizendo um “oooi” como se não tivesse acontecido nada. Partir para a agressão também não é uma boa ideia! Vai saber o que se passa pela cabeça de uma gente dessa.

“Então o que devo fazer?”, você deve estar se perguntando. O jeito é ignorar todos seus amigos que não prestam até eles esquecerem de você. Para testar se o seu desprezo está funcionando bem, entre no Msn, e se algum de seus amigos te cumprimentar, saia do Msn imediatamente e continue seu desprezo até te esquecerem.

Passo II: Procurando ajuda profissionalEditar

Depois de tantos anos de convivência com pessoas assim, você deve estar muito desequilibrado. O melhor a se fazer agora é procurar um psicólogo (ou psiquiatra, dependendo do seu caso). Ele lhe ajudará a se recuperar, mas cuidado para não tomar remédios controlados, ir parar em uma clínica de reabilitação ou até ser internado em um manicômio.

Depois de se tratar e se recuperar completamente, voltando ao seu estado normal que você não via a mais de 4 anos, você já está pronto para recomeçar a sua vida social. No próximo capítulo, veremos os próximos passos para a sua vitória.

Passo III: Reconstruindo sua vida socialEditar

Agora que você está recuperado, tente fazer amizade com novas pessoas, mas mantenha distância dos anormais, excêntricos, idiotas, lesados, tontos e esquizofrênicos. Tente fazer amizade com pessoas legais, cultas, inteligentes e principalmente com os populares da sua escola. Mude suas atitudes e tente destruir sua antiga fama negativa.

Agora você pode fazer amizade com as pessoas que você sempre quis, aquele cara legal que todo mundo quer ser amigo e aquela garota boa, bonita, inteligente, sexy, legal e simpática. Quem sabe você não pega um monte, hein, rapaz?

Considerações finaisEditar

Agora que você conseguiu reconstruir a sua vida e está livre de clínicas de reabilitação, manicômios ou de seus remédios controlados, você pode seguir esses conselhos:

  • Como você tem uma facilidade imensa para fazer amizade com “pessoas” insuportavelmente irritantes ao extremo com leve ou grave distúrbio, lesamento, deficiência mental ou falta de noção completa ou parcial no cérebro, você precisa ficar esperto para não cair no mesmo erro novamente, senão você vai ter que reler esse livro.
  • Você pode voltar a falar com seus antigos amigos, mas NUNCA se involva totalmente!
  • Destrua todas as idiotices que você acumulou durante toda a sua vida, como artigos na Desciclopédia, perfils fakes, comunidades toscas, histórias em quadrinho no papel higiênico entre outros, senão poderá ter um recaída.
  • Quando algum de seus amigos começar a brisar, dizendo que vê pôneis no céu e nuvens com a forma do Mickey, apenas ignore! Jamais entre nessa idiotice, JAMAIS! Quando ele passar a ser extremamente irritante, apenas diga que vai sair ou não leia as mensagens.

A nova história de InexistenteEditar

Inexistente, que antes era um debilóide, agora é uma boa pessoa, culta, inteligente e lúcida. Ele não usa mais idoser e agora seu Msn é lotado de pessoas legais. Ele ainda tem seus antigos amigos lesados, mas agora ele sabe lidar com todos eles, não se irritando mais e não sendo influenciado. Ele ainda conversa com Calvin, Rodrigo, Willian e Jigglypuff, mas agora ele não tem mais ataques de furia.

Este artigo é um esboço kawaii *-*
Faça uma neko feliz expandindo-o ç.ç
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.