FANDOM


Nuvola apps bookcase
Este artigo é parte do Deslivros, a sua biblioteca livre de conteúdo.






Este livro é contra-indicado à otimistas satisfeitos com sua condição de humano feliz, mesmo sendo este autor um cético quanto a existência destes seres humanos.

Nota do autor Editar

Caro(a) leitor(a), este livro tem um único objetivo: fazer você lamentar ter nascido. Se você por algum motivo achar janelas, cordas com nós de marinheiro, e roleta-russa atraentes após lê-lo, problema é seu. O autor deste livro pouco se fode com que irá fazer, porque ele é um misantrópico desgraçado, e não sabe discernir a tragédia da comédia, porque é um cínico sarcástico filho-da-puta. Ele odeia você, como odeia todo mundo, portanto ele nem odeia você de uma forma especial, mas de uma forma geral e abstrata, porque ele é totalmente indiferente ao seu sentimento - ele não se importa com você. Ele é tão assim, que não se importou em escrever esta nota do autor em terceira pessoa, porque ele não lhe permiti uma intimidade maior.

Sobre o sarcasmo explícito nesse texto que pode incômodar alguns Editar

Pessoas muito sensíveis não rirão disso, realmente - que se foda - pessoas sensíveis não são dignas de apreciar o bom humor negro. O sarcasmo é o humor indiferente, o que é ótimo, visto que nesse mundo se ama e se odeia demais. Pessoas morrem de fome, e outras obesas - o problema não é meu. O sarcasmo não é um humor que se faz rindo, quem é sarcástico não rir, embora não se importe que outros ríem, rir é um bom remédio. Portanto, nesse caso rir aqui é ser indiferente, é não sentir e ignorar o sentimento alheio - se for capaz, ótimo; se não foda-se. O Humor, ao contrário do que se imagina é mais sárcastico do que qualquer outra coisa, pois quem rir não se compadece. O Humor não ama; o Humor não odeia; apenas ri. Ironia do destino: o humor é um sentimento insensível. Para rir e fazer rir, é preciso esquecer a emoção, e se tornar indiferente aos sentimentos. Por isso posso afirmar com toda certeza e incoerência com este texto: O Humor não é o remédio do mundo, mas certamente é a anestesia. Viva a Ironia.

Advertências, advertências, e mais advertências Editar

Caro(a) amigo(a), você está vivo, durante toda a vida, até agora, aprendeu que isso é um privilégio, mentiram para você - juro a você, que até terminar de ler este texto, estará convencido que foi condenado à uma pena severa, e desejerá nunca ter nascido; portanto amigo que me lê, amiga que me lê, se sonhas ser pai ou mãe, pare já.

Apartir agora, não me refiro a vocês como amigos mais, porque deveras não são, eu nem ao menos os conheço, e portanto não me importo com vocês, aqui vem uma outra advertência, se acreditas num sentido da vida, na existência, no universo e tudo mais, pare agora - não quero ser culpado por meus leitores desiludidos mais tarde por lhe tirar os brilhos dos olhos, porque não sou malvado, e não gosto de ser mal-interpretado - sonhadores, românticos e idealistas se retirem!

Se você for um desses seres políticos, que acreditam ter o poder de mudar o mundo, refaço o desconvite novamente - essas ideologias políticas que julgam ciência é utopia, e eu não tenho pasciência para elas, não existe igualdade meu filho, a natureza é perversa, se assim não o fôsse, não nasceriam pessoas com deficiência mental, nem pessoas com resistência a realidade como comunistas, religiosos, fascistas e outros pares fanáticos...

Se você for desses que acredita que Deus está por trás de todas as coisas, que tudo que acontece é por Sua suprema vontade e por Sua suprema permissão, se você acredtia em Karma, Nirvana, em espíritos de luz e coisas aparecidas com almas altruístas bondosas de Irmã Dulce e Mahatma Gandhi, dê a volta e saía antes que me odeie.

Queria crer que só leria este último parágrafo os desiludidos, realistas, pessimistas e pragmáticos como eu - mas sendo conhecedor da alma humana, sei que ninguém vai ouvir meus conselhos, e aqui vai minha primeira deixa para vocês: a gente erra mas não aprende. Vocês já leram muitas coisas das quais se arrependeram na vida, e hoje, iram cometer o mesmo erro novamente, porque errar é humano, e insistir no erro é extremamente humano.

Bem, o autor deste livro (novamente de modo impessoal) implora por amor... Deixa pra lá, a vida não merece isso, mas se você lendo este livro parcialmente achar a morte encantadora, trate de ler a continuação quando abordarmos o tema morte - aposto que ira ponderar sobre essa alternativa e entenderá a diferença mais que semântica de lamentar estar vivo e lamentar nascer.

Enfim, enfim... Editar

A vida é um sofrimento, um peso que balança num pêndulo entre a dor e o tédio, seus breves momentos de alegria seram mais efêmeros do que qualquer outra coisa, e nada, nada, nada, nada irá compensar o pior de tudo, a vida é breve. O homem é apresentado a vida ou condenado a viver, como preferir, de ilusões, e portanto desilusões e buscas estúpidas o seguiram - nada é perfeito neste mundo, talvez se está palavra não existisse, os homens seriam muito mais felizes. Somos inicados nesta viagem através da poesia, e naufragamos quando reconhecemos que os versos da vida, não rimam, e por fim, vivemos uma maldita prosa ruim. Me permito falar disso belamente, porque o mundo é uma feíura desgraçada. A vida caro leitor desconhecido, é uma tragédia magnífica, mas não deixa de ser uma comédia trágica - portanto o único bom conselho que lhe darei nesse livro é este: como é fatal vivermos uma tragédia cabal, que apreciamos a comédia do viver alheio.

Alguns outros motivos listados Editar

Cquote1 IMPORTANTE: Muitos leitores que leram o livro até aqui - acabaram por se suicidar. O autor, apenas por motivos legais e jurídicos pediu para que eu editor, lhe escrevesse um apelo no meu próprio nome, para que as pessoas não se suicidassem para que não ocorresse problemas jurídicos com ele e com nosso site. Após muita discussão, e por ele ter sido firme em não demonstrar importância à vida alheia, acabei concordando em escrever, pelo fato do livro ainda ser dele, mesmo em domínio público, me pediu para ser curto, objetivo e não apelar aos sentimentos "pois eles são desprezíveis", por isso resolvi explicar a nota, porque não sabia fazer um apelo, sem apelar aos sentimentos. Obrigado.
Carlos Hurca, Chefe da Redação da Desciclopédia


Os mil motivos não necessariamente estarão listados, aqui só grifo os principais:

  1. Você irá morrer um dia - pronto, você nasceu, está fadado à morte, e com a morte vêm a eterna desgraça do esquecimento. Não importa se você é bom ou é mau, você morre, ponto final, fim de linha, acabou a história, o resto é metafísica e especulação. Com isso vem o segundo motivo.
  2. Antes de morrer perceberá que a vida não tem sentido - oras, pense bem meu caro infeliz, em 5000 mil anos o homem não o achou, porque continuar a procurar? Você não tem sentido para ter nascido. Há uma possibilidade muito grande de você nem ter sido planejado, pense bem, estava seu pai e sua mãe lá fodendo, e infelizmente você nasceu. Porra! Esqueça já essa pergunta infeliz, você não achará resposta.
  3. Sofrerá muito mais que se alegrará - a vida é uma dor só, constastará isso perto da morte. É assim que vivemos - essa porra de felicidade é tudo mentira, os poetas são grandes mentirosos, leia filosofia, Arthur Schopenhauer, e se querer virar religiosos leia Eclesiastes, os sábios confirmaram o que digo: viver é a arte da dor, divirta-se.
  4. O amor é uma grande bosta - no mínimo, quando chegares nesse ponto, juras-te 3 vezes amar por toda a vida, e erras-te 2 vezes no mínimo. Mas quando moribundo morrer, e quando sua consciência se unir a consciência universal, e descobrir as tantas vezes que foi traído - o amor é uma grande bosta. Emfim, se és um romântico, que jurou amar uma vez, descobrirá que amor é dor, e que fez a escolha mais estúpida de todas - antes que seja tarde, quebre essa promessa - esqueça o amor, se possível esqueça até mesmo os instintos, principalmente se for mulher - instinto imbecíl de se apaixonar - é muito mais facíl viver sem sentimentos.
  5. Você será um maldito explorado - trabalhará feito condenado até a última gota de saúde, e dará muito dinheiro para seu patrão, para o Estado, para o(a) vagabundo(a) que tem por companheiro(a), e receberá em troca uma maldita aposentadoria que usará para sustentar seus filhos vagabundos, que antes que morra ou o internará num asilo, onde passará maus bucados, ou faram que morra de desgosto - é quase certo que morrerá deprimido, se não, ocorrerá uma morte justo quando tudo irá parecer melhorar. Morrerá numa lua-de-mel, morrerá após ser promovido, ou passando no vestibular, morrerá quando tudo estiver melhorando. Quando finalmente morrer, deixará tudo para os desgraçados que te exploraram, se você amava seus filhos, e não morreu de desgosto - seus filhos não herdarão dívidas, mas seus credores seram os primeiros herdeiros, se sobrar algo, será uma esmola miséravel que irá causar um grande caos na sua bela família, fazendo com que irmãos odeiem irmãos.
  6. Você não leva porra nenhuma dessa vida - tudo acaba aqui e Zé-Fini! O que levará consigo? Nada. Sua alma irá pro inferno, onde será condenada a eternidade de sofrimento, ou pro céu, onde será condenada a eternidade do aborrecimento e tédio, ou pior de tudo, você irá pro limbo que é exatamente igual a vida, você irá cambalear entre a dor e o tédio, como sempre fez. Talvez, na melhor das expectativas, sua alma não vai pra lugar nenhum - porque ela sequer existe, vai decompor com seus restos mortais, comidos por bactérias, vermes e outros seres desprezíveis da face da terra, e depois será alimento de vegetal, que posteriormente tornar-se-a esterco animal...
  7. Você nunca estará satisfeito com você mesmo - esqueça, nunca você se olhará para o espelho e dizer: hoje eu estou ótimo. Isso porque você nunca vai ser o que realmente pensa que é. Você é um nada, a maior parte do mundo não se importa com você, as poucas pessoas que você acredita se importar com você, na realidade não se importam, porque elas são egoístas, e você é igual a elas, você não é digno de se decepcionar com isso, porque você também não se importa com elas - você é um hipócrita maldito.
  8. A Vida é uma piada sem-graça - nesse exato momento você está realmente entendendo o processo. A vida é uma piada. Você é uma piada. É tudo rídiculo. A forma como as coisas se tornam importante, é rídicula. A forma como dividimos o tempo é rídicula. A forma como avaliamos a vida é rídicula. Se você caminhar por aqui, irá encontrar um alívio para você - a dor é uma piada, o tédio é uma piada. O humor é sua droga e sua anestesia. Perca amigos, mas não perca uma piada. Se torne velho, ranzinza e sarcástico e desfrute da melhor companhia que terá na terra - você mesmo.
  9. Você viverá esperando fazer coisas que nunca irá fazer - sabe aquela lista de coisas que você fez com tudo que devia fazer antes de morrer? Você morrerá e não fará menos da metade dela, na verdade, você já mudou o que tinha naquela lista 1000 vezes, você nem sabe o que quer... Lhe darei uma boa solução para isso - pare de assistir TV, pare de ouvir propaganda, não ouça conversas fúteis. Se você fazer isso, reduzirá em mais 80% essa decepção. O sistema precisa que você realize desejos, e por isso há uma indústria de necessides que não deveriam existir. Você deve estar contente por respirar, ter água e comer, isso é o suficiente para que viva - se os seres humanos resumissem suas ambições a isso, não haveria problemas para nenhum deles - o mundo seria perfeito.
  10. Você não será capaz de fazer o que realmente teve vontade - quando aos 40 anos, acordar a meia-noite, constastará que você adiou todos aqueles sonhos de criança, e que hoje não é mais capaz de fazê-los, planejará fazer aquilo no futuro, mas não fará, morerrá devendo a você mesmo. O seu querer não importa, não importa também o que pensa, há uma Vontade Superior que rege suas ações - você faz o que não quer. As pessoas querem ser boas, pensam que são boas, o querer está em ti, mas não o realizar. Você nunca fará o realmente quer. Você nunca será o que realmente quer ser. O fato é, você não é o que pensa ser, você não é nada, apenas mais um animal irracional no mundo, adornado com um cerébro um pouco superior ao das outras espécies, é mais um humano, e como humano é igual a todos os outros - você não é especial, nem diferente, nasceu igual e morrerá igual.
  11. Não existe Liberdade: não existe liberdade na natureza. Todo os seres vivos são presos há suas vontades, seu instinto de espécie, seus desejos, e deles não há libertações. Não há liberdade, a vontade de ser livre em você é um grito daquela parte racional que adorna seu intelecto - muitos seres humanos são tão "racionais" que imaginam justamente o contrário, que para ser livre deve se entregar ao sentimenos instintivos, não, isso é a prisão, é o fim da razão, se isso fosse verdade, eles estariam satisfeitos, mas não, eles vivem eternamente insatisfeitos, e sempre precisam de mais até que extrapolam os limites e morrem - e isso não tem nenhum sentido, nenhum objetivo, não acrecentam em nada a sua existência e cuprem exatamente o que a cruel Natureza deseja.
  12. Não existe Amor Ideal: as pessoas ainda buscam o sentido na vida em encontrar a pessoa amada, alguém que lhe dará sentido à existência e que a amará por toda a vida - isso não existe, é rídiculo e qualquer um com o mínimo de bom senso poderá perceber o quanto seria entediante uma vida de conto de fadas depois do "felizes para sempre". o amor surgiu como um artifício da natureza para poder impedir que aquela pequena porção racional humana pudesse questionar o instinto básico da vida - a reprodução. E como artifício, o amor é uma bela ilusão que provoca os espíritos humanos numa busca desenfreada sem rumos por algo que parece dá sentido a tudo. Mas ele não existe. Ele nunca existiu. Ele é uma invenção... Não existe amor, apenas paixões. Homem e mulheres reagem diferente a elas, nos homens surge a necessidade de fazer sexo com a fêmea amada, mas após a cúpula, pouco a pouco esse sentimento se dissolve; nas mulheres ocorre diferente, ele cresce, e após a cúpula se intensifica. O único objetivo disso é: reprodução. Para a Vontade Superior, é melhor que os homens tenham muitas fêmeas, e melhor que as fêmeas tenham muitos filhos. A infidelidade é regra, e não excessão.

A MorteEditar

Caro leitor masoquista, você que certamente não entrou na maravilhosa estástistica acima parábens, você provou que tem a honra de se manter respirando e não a covardia de renunciar ao pesadelo de estar vivo, oras! Só homens e mulheres de verdade são capazes de não renunciar os próprios pesadelos. Só loucos como eu, você e todos os outros são capazes de rir da própria desgraça, e continuar nessa soturna libertação destes dogmas imbecis que nos impede ser realistas. Para iniciar o tema morte, uma citação de nosso querido guru:

Cquote1 A dor e o aborrecimento são os dois últimos elementos entre os quais oscila a vida do homem. Os homens exprimiram esta oscilação de modo curiosa; depois de haverem feito do inferno o lugar de todos os tormentos e dôres, que deixaram para o céu? justamente o aborrecimento.
Arthur Shopenhauer sobre a morte


Bem, agora queridos o que acrecentar à isso? Lamentar viver e renúnciar a vida para aceitar a morte como nosso cruel fado?

O Céu e o InfernoEditar

O céu segundo muitos religiosos é onde nada exigie esfôrço e onde as perdizes voaram já assadas e recheadas ao alcance da mão, num país onde cada um pode obter a sua amada sem dificuldade alguma. Todos viveram num mórbido incessante de felicidade, uma felicidade tão, mais tão gigantesca e infidavél em que um dia, de repente, desesperadamente entediados homens se enforcariam, outros despedaçar-se-iam entre si, causando-se maiores males que os impôstos pela natureza em vida. O céu é o próprio inferno, e o inferno o próprio céu, em eras diferentes, para sermos felizes em um tal céu.

Cquote1 "Nossa vida é um episódio que perturba, sem nenhuma utilidade, a serenidade do nada."
(Shopenhauer) , o grande


O melhor que te aconteceria em toda existência era que nada acontecesse, nem sua própria existência.

Cquote1 "Povoado por almas torturadas e por diabos que torturam, o mundo é um imenso inferno."
(Shopenhauer) , o grande


Não há saída infeliz! A morte não é a solução!

Compreendendo a definição semântica de lamentar nascer Editar

Lamentar nascer não é desejar a morte, é muito mais abrangente, desejar a morte é lamentar viver. Nós pessimistas extremos, não desjamos a morte, porque também lamentamos a morte já que ela não liberta você de porra nenhuma, só é mais uma etapa sórdida de sofrimento no infinito eterno superior. Agora ria dessa desgraça! Devido a todos os argumentos aqui expostos posso dizer que "Os Sofrimentos do Jovem Werther" de Goethe é fixinha... O movimento emocore - mais fixinha ainda. E o pior de tudo, você que se aderiu ao pessimismo filosófico, não pertence a grupo nenhum - nem pode ser chamado de emo, porque nós morremos sós, rabugentos e chatos como o velho e infeliz Schopenhauer.



Ficheiro:Stop hand.png AVISO! De acordo com o IBGE o número de pessoas que se tornaram depressivos, bipolares, esquizôfrenicos, esquizóides e misantrópicos conformados nesse momento é (atualizado automaticamente)!


O Ministério da Saúde recomenda procurar analistas ou psicológos para tratamento posterior - a Desciclopédia se isenta de qualquer problema contastado.:

35px35px35px35px35px35px35px


O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.