FANDOM


Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

Moradores atestam que inúmeros pênis de borracha caíram do céu em Pelotas. Especialistas dizem que minitornado atingiu a região. Emos crêem em milagre. Campineiros duvidam e querem provas!

Pelotas (RS) - Uma intensa "chuva de pintos de borracha" de diversos formatos, cores e dimensões surpreenderam os moradores de Pelotas, no Rio Grande do Sul, ontem pela manhã. Os moradores afirmam que as "manaíbas" caíram em um temporal que atingiu a cidade nas primeiras horas do dia. E dizem que não foi sonho.

A dona de casa Jesiscléia Jilipina afirma que ficou impressionada com a cena e que a queda dos "enormes consolos" provocou um "alvoroço" na rapaziada e nos moradores mais antigos. Segundo ela, de látex, era a primeira vez que acontecia na região.

Segundo o meteorologista Wislincreizón Willinghärt, da N.A.S.A.Gaúcha, a chuva de pistolas ocorreu por causa de um minitornado que passou pela região industrial de Porto Alegre e que destruiu o telhado da fábrica de "Brinquedos Adultos EMO", localizada no parque industrial daquela cidade, e que sugou os pênis para a estratosfera.

Ficheiro:Pelotas.jpg

Os especialistas dizem, ainda, que o mesmo vento forte destruiu completamente um container contendo vaselina sintética importada das "Indústrias Químicas EMO" e levantou uma grande quantidade daquela substância para o céu da região gaúcha. Quando a intensidade das rajadas diminiu, os consolos, já previamente lubrificados, despencaram rumo ao chão.

Os moradores pelotenses, sem crer no que estavam presenciando, puseram-se a dançar e a cantar "It's raining man", do conjunto norte americano The Weather Girls, enquanto outros, ainda em estado de choque e ajoelhados, custavam a acreditar no fenômeno. Muitos ligaram para parentes nas cidades vizinhas, e relataram o acontecido em Pelotas. Resultado: um enorme congestionamento de mais de 50 km em todas as rodovias que ligam a cidade gaúcha. O Rio Grande do Sul inteiro parou.

Autoridades do CTEFG - Centro de Tradição Emo/Furry-Gaúcha - foram de helicóptero até o local para estudar o fenômeno e tiraram fotos da imensa festa. A Igreja EMO-Rei também compareceu à região e seus pastores tentarem convencer toda a população a orar pela dádiva concedida ao povo de Pelotas. As mulheres gaúchas não aprovaram a rezação preferindo observar, de longe, ao raro fenômeno da natureza. O prefeito prolongou o Carnaval fora de época até o final de abril deste ano. Ele divulgou uma nota no jornal local explicando que tal ação foi sancionada para que todos tivessem o prazer direito de participar, e não só os que nasceram com o cú para a lua.

Já em Campinas a UBA - União dos Baitolas Anônimos quer provas do evento citado: "Sem provas não acreditaremos em nada..." garantiu Paulo Cufurado, presidente da associação.

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.