FANDOM


Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

ALAHLAÔ, Irã -

Ficheiro:Santoro.jpg

O governo do Irã publicou uma nota na manhã desta terça-feira onde condena a atuação do ator brasileiro Rodrigo Santoro no longa metragem "300", dirigido por Jack Bauer.

O filme conta a história da Batalha das Termópicas, na qual o exército grego, formado por 300 soldados liderados por Leônidas da Silva (conhecido como Diamante Negro), curraram as tropas persas do rei Xerxes, interpretado por Santoro, em troca de sua rendição.

"O exército persa era muito mais numeroso e marchava em direção à Esparta, onde ouviram falar que só haviam guerreiros bombados sempre com uma lança em riste", conta o historiador Dodô da Mangueira. "Porém, encontraram forte resistência por parte do pequeno exército grego e, para não saírem de mãos abanando, negociaram a rendição em troca de uma noite de luxúrias com os 300 bravos soldados."

Os iranianos, que já deixaram de ser persas há muito tempo mas nunca perdem a chance de criticar a cultura judaico-cristã ocidental, não gostaram da atuação do ator brasileiro. Segundo eles, Santoro não atingiu o nível de bichismo exigido para interpretar papel tão importante. "O verdadeiro Xerxes era muuuuito mais chiquérrimo, essa biba não entende nada do mundo clássico GLS", criticaram.

O presidente do Irã, Maluco Ahmadinejad, já ameaçou acelerar seu programa de enriquecimento de urânio caso as Nações Unidas não votem a susbtituição de Santoro por Clodovil na continuação do filme: "300 é pouco, eu quero é mil!"

Fonte Editar

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.