FANDOM



Predefinição:Vdq


Tomazinho Futebol Clube (também conhecido como Tomanocuzinho) é uma agremiação esportiva falida da cidade de São João de Meriti, no estado do Rio de Janeiro, fundada a 2 de janeiro de 1930 só para dizer que se trata de um plágio do Clube de Regatas Vasco da Gama.

Falida história Editar

Ficheiro:Evolução do escudo do Tomazinho.jpg

Após disputar por décadas os campeonatos promovidos pela Liga Desportiva de São João de Meriti sob a denominação de Filhos de Ghandi Tomazinho Futebol Clube, estréia finalmente no profissionalismo, ao participar do Campeonato Estadual da Terceira Divisão do Rio de Janeiro, em 1982, ficando na terceira colocação de sua chave na fase inicial, não se classificando para a seguinte. Anteriormente, o Tomazinho já havia sido pentacampeão meritiense amador de 1980 a 1984 e achava que faria sucesso disputando um torneio profissional.

Década de 80 Editar

Ficheiro:Entrada do Tomazinho FC.jpg

Em 1983, fica em quinto na sua chave e também não se habilita para a fase final do certame. Em 1984, lidera a primeira fase em sua chave e se classifica para a fase final, à qual fica em quinto na classificação geral. Os promovidos foram Clube Esportivo Rio Branco, de Campos e o Royal Sport Club, de Barra do Piraí. Em 1985, lidera novamente a primeira fase na sua chave, composta de times do Sul do estado e da Baixada Fluminense. Na fase final fica em terceiro lugar, sendo promovidos o Porto Alegre Futebol Clube e o Central Sport Club, de Barra do Piraí.

Em 1986, finalmente faz a melhor campanha da sua história e sagra-se campeão invicto da Terceira Divisão de Profissionais (grande coisa). Na primeira fase é o segundo colocado, atrás somente da Associação Atlética Volantes. Na fase final é o primeiro colocado, sendo promovido com o vice-campeão Esporte Clube Nova Cidade, que começava (esse sim!) a sua heróica trajetória rumo à Primeira Divisão.

Campanhas na segunda divisão carioca Editar

O clube cruzmaltino de São João de Meriti disputou a Segunda Divisão de 1987 até 1990 com campanhas modestas. Em 1987, fica em último lugar no primeiro turno. No segundo é apenas décimo entre doze equipes. Subiram Volta Redonda Futebol Clube e Friburguense Atlético Clube.

Em 1988, fica em último lugar nos dois turnos em um campeonato composto por quatorze agremiações, mas a FFERJ com pena não promoveu o descenso para a Terceira Divisão. Em 1989, é nono colocado entre quatorze equipes no primeiro turno. No segundo, é sétimo. Em 1990, fica em oitavo e último, no primeiro turno no grupo "A", não se classificando para a fase final.

De volta à Terceirona nos 90 Editar

Ficheiro:Entrada da sala de troféus do Tomazinho.jpg

Em 1991, a FFERJ transformou a Segunda Divisão em Módulo "B" da Primeira, contudo sem haver cruzamento com o grupo "A", composto pelos clubes da elite do futebol do Rio de Janeiro. Assim, somente os doze melhores do campeonato anterior se habilitaram a disputar, ficando de fora o Tomanocuzinho, além de outros clubes falidos como Rio das Ostras Futebol Clube, Tamoio Futebol Clube e Araruama Esporte Clube, que acabaram compondo a nova Segunda Divisão com vinte e quatro clubes, que foi formada basicamente com os convidados oriundos da Terceira do ano anterior. Nesse novo módulo o Tomazinho ficou em quarto lugar na classificação geral de seu grupo na primeira fase, se classificando para a seguinte. Nesta, que foi dividida em dois grupos de seis equipes, o time de São João de Meriti ficou em último na sua chave por pura sacanagem dos árbitros da FFERJ. Foram promovidos Saquarema Futebol Clube e Entrerriense Futebol Clube.

Em 1992, é apenas o sexto colocado na sua chave, composta de sete equipes, só superando o Esporte Clube Nova Cidade, já de volta ao ostracismo, após a sua meteórica fase de ascensão que culminou com a chegada à Primeira Divisão. Em 1993, é apenas sétimo entre oito equipes em sua chave no primeiro turno. No segundo, repete a mesma colocação, ficando longe, muito longe, a anos-luz do quadrangular final que deveria promover Bayer Esporte Clube e Barra Mansa Futebol Clube mas o Caixa D'Água fez um novo tapetão.

Em 1994, sempre na Segunda Divisão, é apenas sexto em uma chave composta de nove agremiações, não passando da primeira fase. Em 1995, já de saco cheio, se licencia dos campeonatos de âmbito profissional. Em 1997, ensaia uma volta, mas acaba não participando do Campeonato Estadual da Segunda Divisão, na prática a Quarta Divisão, visto que na cabeça do Caixa d'Água, o terceiro era Módulo Intermediário e o segundo se chamava Divisão Especial.

Ficheiro:Escudo do Tomazinho desenhado por criança.jpg

Volta apenas aos campeonatos profissionais em 2000 na Quarta Divisão, chamada de Segunda Divisão, ficando na penúltima colocação, sexto entre sete equipes. O campeão foi o Casimiro de Abreu Esporte Clube. Em 2001, advém um novo período de ausência dos campeonatos profissionais, promovidos pela FFERJ. Em 2003, retorna novamente à Terceira Divisão. A campanha é ruim e o clube fica em último na sua chave, sendo rebaixado para uma eventual Quarta Divisão que jamais viria a acontecer no ano seguinte. Em 2004, disputa novamente a Terceira Divisão ficando em quarto lugar em uma chave com cinco equipes. No ano seguinte desiste de participar do campeonato. Em 2006, ensaia uma participação, mas declina com a tabela já divulgada que indicava que jogaria com o poderoso Tabajara Futebol Clube no Tabajarão.

Volta em 2008, contudo a campanha é novamente insuficiente. É o penúltimo apenas de sua chave na fase preliminar do campeonato, superando apenas o União Central Futebol Clube. Em 2009, se licencia (mais uma vez) do Campeonato Estadual da Terceira Divisão, preferindo disputar o campeonato da Liga pirataIndependente de Clubes de São João de Meriti e os certames promovidos pela Liga de Desportos de Nova Iguaçu.

Em 2010, falida a agremiação não reune condições financeiras para disputar o Campeonato Estadual da Série C de Profissionais. Parcela uma dívida de 45 mil reais com a FFERJ em trinta prestações de 1.500 reais fruto de apostar o Toba do Eduardo Viana. Em 2017, com a volta da Quarta Divisão promovida pela FFERJ, a equipe pretende voltar a disputar o campeonato esse ano só pra ser eliminado e retornar a inatividade.

Curiosidades Editar

Predefinição:Curiosidades

Títulos Editar

Campeão Estadual invicto da Terceira Divisão Editar

Ficheiro:Uniforme 2 do Tomazinho.jpg

Em 1986, o Tomanocuzinho sagrou-se campeão estadual invicto da Terceira Divisão de Profissionais e entre os atletas se destacaram Zeca Pagodinho (foi a Wikipédia que disse). Naquele ano Flamengo e Vasco decidiram o Campeonato Estadual de 86 numa melhor de quatro jogos no Maracanã. Na terceira partida, Tomazinho e União Esportiva Coelho da Rocha foram convidados a jogar a preliminar para promover uma pelada aos espectadores: o primeiro, que possui trajes quase idênticos aos do Gigante da Colina, contra o segundo, com um uniforme similar ao São Paulo Futebol Clube.

Outros títulos Editar

  • Municipais (Meritiense) (L. D. S. J. M.): 7 vezes 1976, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1996;
  • Vários torneios entre os quais um chamava-se Geraldo Careca.

Predefinição:Campeonato Carioca

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.